Nestes 50 anos de existência, a EDEM já mudou de identidade visual algumas vezes: primeiro, o catavento, com um tipo de fonte. Nos anos 90, apareceram as famosas cobras e maçãs… Mas, afinal, como foram as construções dessas logos? O projeto “Identidade visual: evolução da forma na produção do logotipo da EDEM”, uma parceria entre os professores de Comunicação Visual e Matemática com as turmas de 6º ano Fundamental 2, fala justamente destas mudanças ao longo dos anos. Nas aulas, alunas e alunos consultaram todos os logotipos da escola ao longo dos anos. E a partir daí começaram a estudar o que é logotipo, o que é logomarca, o que  é símbolo gráfico.

– A ideia foi trabalhar a análise da evolução da forma na construção da logo da escola, utilizando a geometria criativa como uma das ferramentas de compreensão e leitura, identificando círculos e as linhas curvas na produção das logos, a evolução e criação das formas e evolução tipográfica – explica Ronaldo Amaral, professores de Artes Visuais das turmas.

A atividade, que aconteceu nas últimas semanas, também apresentou para os alunos o universo estético de Joan Miró e Wassily Kandinsky.

– A partir da contextualização e do estudo, os alunos propuseram novas possibilidades visuais e estéticas para novas logomarcas, através de formas e de tipografia. Vimos a evolução da forma na produção de logo, o abstracionismo formal e informal e a geometria criativa como forma de expressão simbólica – diz o professor.

Quer saber como ficaram os trabalhos? Não percam a exposição na Fundição Progresso, que acontece entre os dias 24 e 27 de setembro, com direito a festa! Saiba tudo aqui no nosso evento no Facebook!