O 1º ano do Ensino Médio da EDEM, acompanhado da professora Cristiane, simulou um Comitê da Conferência das Partes (COP 27), tendo como referência o evento oficial que aconteceu em Sharm El Sheik, no Egito, em novembro. Essa simulação foi uma culminância de tudo que foi estudado e pesquisado ao longo do ano letivo, nas aulas de Geografia, em relação à emergência climática.
– Ao longo do último trimestre, a turma foi organizada em 11 delegações, que representam os interesses de países, ou agrupamento de países. O tema a ser debatido foi a proposta de criação de um mecanismo de financiamento para Perdas e Danos, endereçada aos países mais vulneráveis aos efeitos das mudanças climáticas, tais como eventos extremos – explica a professora.
Dentro desse tema, que entrou na agenda da COP depois de 30 anos de tentativas, as turmas discutiram e produziram resoluções sobre dois tópicos da agenda predefinida pela Coordenação Pedagógica: a relação entre Perdas e Danos com a Justiça Climática e Direitos Humanos; e Criação de Mecanismo de Financiamento para Perdas e Danos.
– A ideia foi que os estudantes entrassem em contato não só com os desdobramentos da questão da emergência climática, mas percebessem, na prática, os inúmeros aspectos relacionados à política ambiental desenvolvida em alto nível no âmbito da Convenção-Quadro para Mudanças Climáticas da ONU (UNFCCC), tais como os interesses diplomáticos, econômicos e políticos dos países, e reconhecessem os temas principais e os entraves relacionados aos limites de governança da ONU – conta Cristiane.
E os alunos, o que acharam?
– Nosso tópico foi “Perdas e Danos e a Justiça Climática”. Achei muito atual e é muito importante sabermos sobre esse tema. Foi muito interessante pesquisar e ter que se articular, além de fazermos essa simulação, que é diferente por trazer uma realidade que não vivemos no nosso dia a dia – diz a aluna Isabela Mascarenhas, do 1º ano do Ensino Médio.
Caetano Moraes, da mesma turma, concorda com a colega:
– Além de ser uma atividade mais descontraída e diferente, a gente conseguiu ter uma noção melhor de como está a situação no mundo sobre a crise climática. É muito interessante debater a respeito e ouvir a opinião de cada um. Eu fui o mediador da mesa, então ajudei a guiar o debate.
📸 Andréa Testoni