Os séculos 17 e 18 tiveram como características marcantes (e isso pode ser visto com a arte) o luxo e a dramaticidade. A Igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, que faz parte do Museu Sacro Franciscano, é prova disso. Por 12 anos ela esteve abandonada, com umidade e cupins, mas foi reinaugurada recentemente, após um trabalho minucioso de restauração. Para a observação desta fase em um espaço ainda existente e para encerrar a unidade de estudos do Brasil-Colônia, surgiu a ideia do passeio das turmas do 8º ano do Ensino Fundamental 2 à igreja e ao Museu Sacro Franciscano. Na última sexta-feira, dia 24, o grupo foi até o centro da cidade, passou pelo Largo da Carioca e chegou à igreja, para observar as obras de três dos mais importantes artistas portugueses da época: o entalhador Manuel de Brito, o mestre escultor Francisco Xavier de Brito – que depois influenciaria o trabalho de Aleijadinho, em Minas Gerais – e o pintor Caetano da Costa Coelho. Alunos e alunas, acompanhados por professoras da escola, foram recebidos por funcionários da igreja para uma visita guiada e para ouvir as histórias de todos estes séculos.

– Esse passeio foi o encerramento da unidade dos estudos de Brasil-colônia e de mineração com as turmas de 8º anos. Como a igreja hoje faz parte de um museu, nós visitamos várias partes, desde o cemitério até a senzala onde viviam 70 escravos. Foi uma experiência interessante porque eram 46 alunos e alunas, no total. E mesmo assim a senzala já ficou cheia, desconfortável e apertada. Imagina com 70 pessoas como na época da escravidão? Eles ficaram muito impressionados. O passeio foi muito rico, muito interessante – conta Marcelle Deslandes, coordenadora do Ensino Fundamental 2.

Veja todas as fotos do passeio aqui!
Crédito: Andrea Testoni